domingo, 27 de fevereiro de 2011

"Quero ser feliz ou ter razão?"

Mais um e-mail interessante que recebi. Dessa vez, o título era “Quero ser feliz ou ter razão?”.

Uma historinha simples: “Oito da noite, numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos. O endereço é novo e ela consultou no mapa antes de sair. Ele conduz o carro. Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita. Discutem. Percebendo que além de atrasados, poderiam ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado. Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados. Mas ele ainda quer saber: — ‘Se tinhas tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devias ter insistido um pouco mais...’ E ela diz: — ‘Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!’.

MORAL DA HISTÓRIA: Esta pequena história foi contada por uma empresária, durante uma palestra sobre simplicidade no mundo do trabalho. Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente, de tê-la ou não. Desde que ouvi esta história, tenho me perguntado com mais freqüência: 'Quero ser feliz ou ter razão?' Eu já decidi... EU QUERO SER FELIZ e você? ‘Nunca se justifique. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam.’

Muitas vezes (e olha que são muitas mesmo), deixamos o orgulho dominar nossa personalidade, na gana de querermos ter razão. Mas, de fato, quando se trata da pessoa amada, realmente precisamos ter razão o tempo todo? Penso que não, pois ceder ou não deixar fluir uma discussão boba, por motivo fútil, vale muitos bons momentos com quem amamos.

Pergunte a sim mesmo: “É mesmo fundamental abrir uma discussão por esse motivo?”. Deixe a intuição e o coração responderem. Se há amor de verdade, ambos responderão que “não”. É muito melhor relevar, “deixar pra lá” e ser feliz com quem está ao nosso lado, do que estragar bons momentos por bobagens. E daí se você está certo? Não vale muito mais a pena ver o sorriso de quem você ama a você, do que uma expressão de insatisfação, que pode minar o amor no futuro? Sejamos mais generosos com nosso amor e conosco mesmos. Mande o ego passear! Deixe para ter razão por coisas grandes, de relevância e importância na sua vida. Em qualquer circunstância, Amar [e ser feliz] sempre é melhor...

Paz Profunda!
Sou Valéria Nagy.
La Strega, 27.02.2011 d.C.

Nenhum comentário:

Postar um comentário